Advogado criminalista sugere que Sérgio Moro deva ir preso

Resultado de imagem para kakay x moro

“Você gostaria de ser julgado(a) pelo juiz Sérgio Moro?” Com essa pergunta, a ConJur fez pesquisa informal, quando a chamada operação "lava jato” dava seus primeiros passos. A questão foi apresentada a juízes que se mostraram especialmente entusiasmados com as técnicas do juiz federal criminal de Curitiba. As respostas interessaram menos do que o intrigante silêncio que se seguia à pergunta. A exceção foi a sagaz rapidez da presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia. “Eu confio na justiça do meu país”, disse ela.


Diante da reportagem da jornalista Mônica Bergamo publicada neste domingo (27/8) na Folha de S.Paulo, em que se aponta possível tráfico de influência e suposta compra de vantagens em negociações na esfera da “lava jato”, uma questão hipotética se coloca. Em situaçoes como essa, o acusado Sérgio Moro gostaria de ser julgado pelo juiz Sérgio Moro?

O exercício especulativo foi proposto logo pela manhã em um grupo de discussão do WhatsApp, pelo criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, mais conhecido pelo apelido Kakay.

Na introdução de sua mensagem, o advogado começa por esclarecer: “É claro que temos que dar ao Moro e aos procuradores a presunção de inocência, o que esse juiz e esses procuradores não fariam, mas é interessante notar e anotar algumas questões.” E enumera:


“1 — O juiz diz que não se deve dar valor à palavra de um "acusado". Opa, isto é rigorosamente o que ele faz ao longo de toda a operação!

2 — O juiz confirma que sua esposa participou de um escritório com seu amigo Zucolotto (que supostamente teria pedido dinheiro a um réu para melhorar a situação dele na ‘lava jato’), mas sem 'comunhão de trabalho ou de honorários '. O fato seria certamente usado pelo juiz da 13ª Vara como forte indício, suficiente para uma prisão contra um investigado qualquer. Seria presumida a responsabilidade, e o juiz iria ridicularizar essa linha de defesa.

3 — A afirmação de que dois procuradores enviaram por email uma proposta nos mesmos termos da que o advogado, padrinho de casamento do juiz e sócio da esposa do juiz, seria certamente aceita como mais do que indício, mas como uma prova contundente da relação do advogado com a força tarefa.

4 — O fato de o juiz ter entrado em contato diretamente com o advogado Zucolatto, seu padrinho de casamento, para enviar uma resposta à Folha, ou seja combinar uma resposta para a jornalista, seria interpretado como obstrução de justiça, com prisão preventiva decretada com certeza.


5 — A negativa do tal procurador Carlos Fernando de que o advogado Zucolatto, embora conste da procuração, não é seu advogado mas sim um outro nome da procuração, seria ridicularizada e aceita como motivo para uma busca e apreensão no escritório de advocacia.

6 — O fato de o tal Zucolatto dizer que trabalha com a banca Tacla Duran, mas que conhece só Flavia e nem sabia que Rodrigo seria sócio, se analisado pelo juiz da 13ª Vara, certamente daria ensejo a condução coercitiva.

7 — E o simples fato de a advogada [Flavia Tacla Duran] ser também advogada da Odebrecht seria usado como indício de participação na operação.

8 — A foto apresentada [Moro, Zucolotto e Rosângela Moro], claro, seria usada como prova.

9 — A negativa de Zucolotto, que afirma não ter o aplicativo no seu celular seria fundamento para busca e apreensão do aparelho .

10 — Enfim, a afirmação de que o pagamento deveria ser em espécie, não precisaria ter prova, pois o próprio juiz admitiu, ontem numa palestra, que a condenação pode ser feita sem sequer precisar do ato de oficio, sem nenhuma comprovação.

11 — Ou seja, embora exista a hipótese de os fatos serem falsos o que nos resta perguntar é como eles seriam usados pela República do Paraná? Se o tal Deuslagnol não usaria a imprensa e a rede social para expor estes fortes "indícios" que se entrelaçam na visão punitiva. Devemos continuar dando a eles a presunção de inocência, mesmo sabendo que eles agiriam de outra forma.”

Comentários

  1. Respostas
    1. Até que em fim um advogado consegue de forma contundente e simples explicar para esse povo covarde e desinformado o rídiculo que esse juíz está fazendo com a jurisprudência de uma forma tão primária, criminosa, que é impossível de acreditar tamanho afront. Agora sim aqui está escancarada a extensão do crime que nós estamos acobertando e permitindo. Parabéns!
      Como pode deixar um cara desse dirigir um processo importante contra corruptos, isso não é um circo, palhaçada, sulrealismo. Inacreditável!!! o tanto que somos desarmad@s. Que sirva de lição ao povo Brasileiro. Não é por ter culpados que devemos despresar a ordem, a lei e a constituição e a seriedade e honradez do nosso sistema, pois estamos nos revelando da mesma forma corruptos e canalhas mais do que aqueles que estão no banco dos réus.

      Excluir
    2. Moro é irresponsável. Lula homem guerreiro do povo brasileiro e que mais lutou pelos brasileiros e pela democracia. Moro é um homem revolucionário da extrema direita. Quer a guerra e condenou Lula sem provas.

      Excluir
  2. Muito bom Kakay, gostaria de vê -los experimentando o próprio veneno!!

    ResponderExcluir
  3. lula é inocente!!! esse juiz é uma farsa

    ResponderExcluir
  4. O estranho é que na mídia televisiva não saiu um linha sobre a farsa do triplex que o MST invadiu e fez vídeo desmascarando a Globo e o Xerife made in USA !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu asdisti na tv quando eles retiravam as pessoas do triplex. Não sei dizer qual noticiário. Assisto sempre a Band e a Record.

      Excluir
  5. post muito forte. SURUBA DO JUDICARIO, COM TUDO NA MOITA.

    ResponderExcluir
  6. Mas...são apenas indicios que podem formar a tal de convicção, sem provas materiais. São apenas um critério eventual de testemunhas acuadas...! Kkkk nada como fantasia e banca de capa preta.

    ResponderExcluir
  7. EU ACREDITO QUE OS BONS OPERADORES DO DIREITO, QUE SÃO ÉTICOS, DEFENDEM A CONSTITUIÇÃO E A JUSTIÇA, QUE LERAM NA FACULDADE DE DIREITO, A OBRA DE RUI BARBOSA, O DEVER DO ADVOGADO, DEVEM TRABALHAR INCANSAVELMENTE PARA DENUNCIAR ESSA FRAUDE DESSE JUIZ DE CURITIBA, O TAL DE MORO, QUE SISTEMATICAMENTE VIOLA NOSSO ORDENAMENTO JURÍDICO BRASILEIRO, CONDUZINDO PROCESSOS COMO UM INQUISIDOR MEDIEVAL, CONDENANDO CIDADÃOS BRASILEIROS AO CÁRCERE, EM PROCESSOS FRAUDULENTOS SEM CRIMES E SEM PROVAS, APENAS PELA IDEOLOGIA POLITICA DOS RÉUS SER OPOSTA A IDEOLOGIA QUE ELE MILITA. AINDA VEREMOS ESSE JUIZ PROCESSADO, CONDENADO, EXONERADO DO SERVIÇO PÚBLICO E PRESO.

    ResponderExcluir
  8. A ÚNICA COISA QUE FARÁ O POVO DO LULA E O LULA FELIZ É VER ESTE COVARDE CRIMINOSO ,PSICOPATA NA CADEIA SENÃO A JUSTIÇA ESTARÁ DEFINITIVAMENTE DESACREDITADA AÍ SALVE SE QUEM PUDER.MORO NA CADEIA E DESONERADO FIM.

    ResponderExcluir
  9. Não esquenta, daqui a pouco os PTralhas se acostumam com o 9 dedos preso e voltam às novelas, a Copa está chegando o 9 dedos tem televisão. Em breve terá companhias.

    ResponderExcluir
  10. Este juiz imparcial Sérgio Moro não era juiz natural do processo triplex. Se fosse honesto no caráter teria remetido o processo de volta a origem, para se desenrolar em Brasília, em Guarujá ou em São Bernado. No entanto, quando o juiz imparcial Sérgio Moro viu em suas mãos a possibilidade de projeção profissional e nacional, absorveu o processo. Era um joia preciosa para a exposição de um juiz que ganharia status, mídia, honraria, badalação, projeção e poder. Então o juiz imparcial Sérgio Moro ganhou fama não por ser o juiz da Lava-Jato, mas por ser o juiz que condenou o maior líder de esquerda do mundo o presidente Lula. Para isso, foi dada celeridade absurda aos trâmites processuais, que atropelou etapas e foi usado de táticas não existente na jurisdição brasileira.

    ResponderExcluir

Postar um comentário