Em 8 meses como prefeito, Dória passou mais de 47 dias viajando para fora de SP


Estadão - Doria começou seu roteiro em fevereiro com um giro pelos Emirados Árabes e Catar para divulgar seu plano de concessões e privatizações, que inclui o Sambódromo do Anhembi e o Autódromo de Interlagos.


Também foi à Coreia do Sul e à China em busca de investidores, além de ter visitado o papa Francisco em Roma, em abril, e participado de encontros com prefeitos, empresários e reunião com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) nos Estados Unidos.

Nas últimas semanas, Doria centrou sua agenda em viagens pelo Brasil. Passou por seis capitais em 15 dias, em eventos de homenagens a ele, como títulos de cidadão soteropolitano e natalense, e encontro com presidente interino de seu partido, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).

No período, Doria passou a receber críticas de adversários, permeadas com os relatos de problemas na cidade, como semáforos desligados, buracos de rua e a Cracolândia.


Presidente da Associação Brasileira de Consultores Políticos, Carlos Manhanelli afirma que Doria tem seguido a cartilha de um candidato. “A máxima da campanha é que só se vota em quem se conhece. Doria é conhecido em São Paulo mas pouco fora dela. Está alavancando seu nome nacionalmente”, disse.

Comentários