Jornal Nacional fica sem saber o que fazer com delação que atinge amigo de Moro


Nexo Brasil – A informação publicada pela jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo, de que o advogado Rodrigo Tecla Duran, ex-funcionário da Odebrecht entre 2011 e 2016, acusou o advogado trabalhista Carlos Zucoloto Junior de intermediar negociações paralelas dele com a força-tarefa da Operação Lava Jato, como redução de penas e multas, é o assunto mais comentado do momento sobre política nas redes socais.


Zucoloto é amigo pessoal do juiz da Operação Lava Jato, Sérgio Moro. Rapidamente, o juiz rebateu as acusações, alegando que a jornalista deu “crédito a um acusado foragido”. No entanto, várias pessoas começaram a questionar que era exatamente isso o que Moro faz quando aceita as delações no âmbito da operação que investiga desvios na Petrobras. Advogados criticam que muitos delatores já tiveram suas penas reduzidas sem apresentarem provas concretas dos atos ilícitos.

No Twitter e no Facebook, internautas relembraram que o Jornal Nacional da TV Globo sempre dá amplo destaque a delações consideradas “bombas” e perguntam se o telejornal vai dar destaque ao caso envolvendo o amigo do juiz da Lava Jato. “Será que sai no JN a delação do amigo de Moro?”, escreveu um internauta no Twitter. Trata-se de um fato inusitado, pois normalmente é o juiz que surge na imprensa divulgando informações sobre outras pessoas, mas nesse caso, o juiz acabou sendo envolvido.


O outro lado:

Em nota enviada à imprensa, Sergio Moro disse que a matéria da Folha foi “irresponsável” e que não apresenta provas: “O advogado Carlos Zucoloto Jr. é advogado sério e competente, atua na área trabalhista e não na área criminal […] o relato contra o advogado em questão é absolutamente falso […] não apresentou à jornalista qualquer prova de suas inverídicas afirmações […] Rodrigo Tecla é acusado de lavagem de dinheiro de milhões de dólares e teve sua prisão preventiva decretada por este julgador [Moro] […] Carlos Zucoloto é meu amigo pessoal e lamento que seu nome seja utilizado em uma matéria irresponsável para denegrir-me […] Lamento o crédito dado pela jornalista ao relato falso de um acusado foragido.”, disse Moro em nota.

Comentários

  1. A Globo é sócia do Moro, sabe que se ele cair ela também cai. E como explicar a exclusividade nos vazamentos?
    Quem vai acreditar que foi de graça?

    ResponderExcluir
  2. Quem com ferro fere com ferro será ferido! quando se trata de acusar os outros o juizinho estrume de tucano dá credito a foragidos e condenados da lei, mas quando se trata dos seu círculo da confiança ser ameaçado por acusações de crimes, o estrume de tucano diz que a voz de um criminoso não tem valor algum. Fala sério seu juiz sem moral!

    ResponderExcluir

Postar um comentário