Temer diz que não teme delação de Funaro e que encontra com quem quiser, na hora que quiser


Revista Exame - Na entrevista, o presidente foi perguntado especificamente sobre o encontro com a futura Procuradora-geral da Republica, Raquel Dogde


Brasília – O presidente Michel Temer rebateu nesta quinta-feira, 24, as críticas de encontros fora da agenda e tarde da noite no Palácio do Jaburu e disse, em entrevista ao SBT Brasil, que conversa com quem “quiser, na hora que achar mais oportuna e onde quiser”. O presidente foi perguntado especificamente sobre o encontro com a futura Procuradora-geral da Republica, Raquel Dogde, que esteve com o presidente no ultimo dia 8 no Jaburu fora da agenda.

Raquel substituirá Rodrigo Janot, considerado algoz do presidente após denunciá-lo por corrupção passiva. “O fato de eu conversar com você não significa que você vai me proteger”, disse. Segundo Temer, é preciso “acabar com essa historia que você não poder conversar com as pessoas”.

“Quem fala que dez horas da noite é tarde deve ser porque trabalha até as seis e acha que depois das seis ninguém pode trabalhar”, disse. “O presidente da República trabalha permanentemente e ele não tem local de trabalho.” Além do encontro com Raquel em agosto, outros encontros noturnos fora da agenda de Temer no Jaburu causaram polêmica.


Na noite de 7 de março, ele recebeu o empresário Joesley Batista, do grupo JBS, que o gravou. Depois, noite do dia 6 deste mês, o presidente recebeu o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal.

Comentários