Geddel rouba R$ 51 milhões, não tem panelaços e não vai preso


Existem pelo menos 51 milhões de motivos para prender Geddel Vieira Lima, parceiro e braço direito de Michel Temer. Foi esse o valor encontrado pela Polícia Federal no “bunker” em Salvador ligado ao ex-ministro, na maior apreensão de dinheiro em espécie da história do País.


Durante o processo que culminou no golpe parlamentar contra a presidente Dilma Rousseff, Geddel protagonizou em 2015, em Salvador, manifestação contra a corrupção, defendendo a saída do governo Dilma. “Chega, ninguém aguenta mais tanto roubo, assalto aos cofres públicos para enriquecer os petistas”, disse Geddel (relembre aqui).

A prisão domiciliar para Geddel foi concedida a Geddel no dia 12 de julho pelo desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), com sede em Brasília. O desembargador determinou que o peemedebista fosse solto mesmo sem a tornozeleira e que o equipamento fosse colocado quando Geddel chegasse à capital baiana.

Quase dois meses depois, o ex-ministro Geddel Vieira Lima cumpre pena no apartamento onde mora em um prédio em Salvador sem a utilização da tornozeleira eletrônica.


A prisão dele foi decretada por suspeita de tentar interferir nas investigações da Operação Cui Bono, que apura fraudes na liberação de crédito da Caixa Econômica Federal — ele foi vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa entre 2011 e 2013.

Até agora, Geddel não deu qualquer explicação nem negou ser “proprietário” dos recursos. O mais intrigante, no entanto, é ele ainda estar em liberdade.

Comentários

  1. Quem você acha que está no poder político? Lixos genéticos através do voto. Quem você acha que ocupa os cargos públicos por concurso|? Animais só da experiência feitos que estudam e decoram apostilas e os demais são indicados e sabatinados por políticos animais irracionais. Então o Brasil é um país de animais e sem futuro.

    ResponderExcluir

Postar um comentário