Moro quer calar advogado que denunciou o amigo Zucolotto a todo custo


Em artigo publicado no GGN e Tijolaço, o ex-presidente da OAB Wadih Damous, que é deputado federal, diz que Sergio Moro quer calar o advogado Rodrigo Tacla Durán e abafar o caso a todo custo.


Esta é a razão pela qual, segundo ele, o juiz negou o pedido da defesa de Lula para ouvi-lo em um processo que conduz.

Tacla Durán, segundo revelou a coluna Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, disse que um advogado amigo de Moro, Carlos Zucolotto Júnior, tentou lhe vender facilidades na Lava Jato.

Durán, que prestou serviços para a Odebrecht durante muitos anos, teve a prisão preventiva decretada por Moro, mas, como tem dupla cidadania, a Espanha negou o pedido de extradição. Hoje ele é colaborador do Departamento de Justiça dos Estados Unidos e da Justiça espanhola.

Em seu artigo, Damous lembrou que o Zucolotto apagou as postagens de seu perfil no Facebook, dentre elas fotos nas quais Moro, Zucolotto e esposas aparecem em restaurantes de luxo em Nova Iorque.


“O problema é que pelos critérios adotados por Moro à frente da Lava Jato muitos já foram acusados, condenados e presos por procedimentos semelhantes”, escreveu Damous.

“E agora, doutor Moro ? Será que a sociedade não tem o direito de saber o que teme seu padrinho de casamento ao limpar o perfil do Facebook? Podemos pensar que seja o medo da revelação de evidências e fatos comprometedores. Embora saibamos todos que a seletividade e adoção sistemática da prática dos ‘dois pesos e duas medidas’ sejam marcas visíveis de sua atuação como juiz, o caso em questão requer explicações”, destacou Damous.

Comentários