Palocci entrega provas contra empresários, mas nada contra Lula. E agora Moro?


No acordo de delação que negocia com a força-tarefa da Lava-Jato, o ex-ministro Antonio Palocci decodifica os negócios sujos escondidos na famosa lista de clientes de sua consultoria, a Projeto. Palocci abriu a empresa em 2006, pouco depois de deixar o Ministério da Fazenda. Em quase uma décadas de atividade, a Projeto foi contratada por algumas das maiores empresas brasileiras, multinacionais, bancos e conglomerados econômicos.


Na delação, Palocci fornece notas fiscais, cópias de contrato e narra as histórias de corrupção que envolvem pelo menos dez grandes clientes de sua consultoria. O produto principal do “consultor” Palocci, admite o ex-ministro, era o acesso exclusivo aos gabinetes mais importantes de Brasília.
Leia Também

VEJA

Comentários