Procuradores da Lava Jato usam dinheiro público para visitar parentes e passear, mostra jornalista


Fernando Brito, no Tijolaço – O jornalista Marcelo Auler mostra, em detalhes, em seu blog, a verdadeira farra de diárias e passagens pagas aos procuradores da República envolvidos na Lava Jato. Só com diárias, o grupo da Lava Jato em Curitiba recebeu R$ 463.576,62 reais em diárias (fora o salário e sem Imposto de Renda) durante os primeiros meses deste ano.


Ou aproximadamente R$ 58 mil mensais para o grupo, sem contar as passagens aéreas, para o território e para o exterior. A campeã é Isabel Groba, a que se incomodou em ser chamada de “querida” por Lula, que abiscoitou quase R$ 65 mil até agosto. A farra também atingia as forças tarefas do Rio, onde uma procuradora recebeu quase R$ 50 mil em diárias e de Brasília, onde só dois auxiliares de Janot tiveram nada menos que R$ 117 mil para pagarem suas despesas de estadia.

Auler mostra, detalhe por detalhe, com valores precisos, a farra diarista que, aliás, vem de longe, porque os valores que ele apura são apenas os deste ano. Coisa de mudar o nome para “Operação Paga Jato”, de tanta viagem.


Tem história para todos os gostos – e desgostos – como o procurador que é de Curitiba, cuja mulher é de Curitiba – procuradora também , já recebe auxílio moradia-, cujo filho mora em Curitiba que foi transferido para São Paulo, onde recebe auxílio-moradia – e está emprestado para Curitiba, recebendo por isso mais 61 diárias, ou R$ 63, 6 mil.

Tudo, “dentro da lei”, claro. E fora de qualquer padrão ético e moral que se deve exigir do serviço público.

Comentários