Sem alarde da mídia, Temer já privatizou 29% do Banco do Brasil a preço de banana


A semana termina com um agitado noticiário corporativo, com atenção especial para as informações da venda de ações do Banco do Brasil pelo governo federal e para o acordo da Liquigás com o Cade sobre cartel de GLP. 


Segundo documento apresentado na CVM (Comissão de Valores Mobiliários), o governo federal vendeu 9 milhões de ações do Banco do Brasil em agosto. De acordo com a equipe do Itaú BBA, a venda deve ter sido feita pelo Fundo Soberano, que no primeiro trimestre deste ano detinha 105 milhões do banco.

Os analistas lembram que o Fundo Soberano estava proibido de vender papéis da companhia até o início de agosto, por conta do período de silêncio do BB. Considerando a venda das ações de maio, junho, julho e agosto, o governo já vendeu 30,9 milhões de ações, o que representa cerca de 29% do total de ações do Fundo Soberano no banco.

O preço médio da venda em agosto foi de R$ 31, ante R$ 29 por ação em julho, R$ 28 em junho e R$ 30,60 em maio.


A Petrobras informou que dois processos que apuram a formação de cartel envolvendo a Liquigás no mercado de distribuição de GLP no Nordeste, no Distrito Federal e áreas adjacentes foram suspensos após acordo com o Cade, segundo comunicado divulgado nesta sexta.

A Liquigás assumiu compromisso de pagar R$ 65,6 milhões ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos. "Liquigás vem implementando melhorias nos seus processos internos com o objetivo de disseminar as boas práticas de mercado e fornecer orientações sobre a legislação antitruste", disse a companhia.

Fonte: Brasil 247.

Comentários