Aparecem documentos que provam 1 milhão em propina a Temer


Revista Fórum - A Globo parece não ter desistido de derrubar Temer. A Revista Época acaba de divulgar que uma planilha apreendida na sede da empresa JBS, em São Paulo, registra a existência de uma conta corrente com 64 nomes que teriam recebido recursos da empresa. Dentre eles, o presidente Michel Temer (PMDB).


A planilha teria sido encontrada pela Polícia Federal dentro de uma pasta no gabinete de Wesley Batista – um dos proprietários da empresa – no dia 11 de maio de 2017.

Temer aparece como tendo recebido no dia 2 de setembro de 2014 “crédito” de R$ 1 milhão, segundo as anotações.

A data associada a Temer bate com as informações prestadas, por meio de delação premiada, pelo lobista Ricardo Saud. É o mesmo dia que o doleiro disse ter determinado o pagamento, desse mesmo R$ 1 milhão, ao então vice-presidente.

Lista da JBS traz o nome do presidente Michel Temer 
(Foto: reprodução/ÉPOCA)

As planilhas detalham até mesmo o pagamento de férias para intermediários do dinheiro, dentre eles uma pessoa identificada como Florisvaldo, que recebeu R$ 25.726 mil em 26 de novembro de 2014.


Florisvaldo Oliveira era o funcionário da companhia chamado de “homem da mala” pelo executivo Ricardo Saud. Ele é a pessoa que teria entregue o R$ 1 milhão do qual Michel Temer era o destinatário.

Florisvaldo revelou em delação que o dinheiro estava em uma caixa e teria sido entregue para João Baptista Lima Filho, um coronel aposentado da Polícia Militar paulista que é amigo de Temer. No meio político, e é mais conhecido como Coronel Lima.

Lima é dono da Argeplan e de uma fazenda em Duartina, ocupada pelo MST em 2016. Na cidade, a fazenda é conhecida como sendo propriedade de Temer.

A reportagem da revista Época deve servir de munição pra alguns minutos de Jornal Nacional durante a noite de hoje. Rodrigo Maia certamente está atento a tudo isso.

Comentários