Bolsonaro defende lei terrorista que permitiu morte de 59 pessoas nos EUA


O massacre de Las Vegas, provocado por um sociopata que matou 59 pessoas e feriu mais de 500 indivíduos, reabriu o debate sobre a posse de armas de fogo nos Estados Unidos, embora o tema não tenha sido mencionado pelo presidente Donald Trump.


Essa discussão sempre ganha força quando ocorrem massacres em escolas e espaços públicos norte-americanos. Como de costume, as lojas que vendem armas a psicopatas dizem ter seguido as normas legais e lavam suas mãos.

O risco de que o Brasil venha a se tornar palco de massacres do gênero hoje parece restrito a dois presidenciáveis – os únicos que se posicionam contra o Estatuto do Desarmamento.

Um deles é o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que fala em colocar uma arma de fogo nas mãos de cada cidadão de bem. Outro é o banqueiro João Amoedo, do Partido Novo, que usa o argumento bizarro de que as armas, sozinhas, não matam.


No entanto, em países civilizados, como a Inglaterra, a Islândia, a Noruega e a Nova Zelândia, até a polícia não usa mais armas de fogo – a esse respeito, leia reportagem da BBC.

Comentários

  1. kkkkkkkk então seu animal, vamos proibir o uso de caminhão pq em paris aconteceu atentado que matou vários!

    ResponderExcluir

Postar um comentário