Delegado que fez operação na casa de filho de Lula é ligado ao PSDB


Diário do Centro do Mundo - O delegado que comandou a operação de busca e apreensão na casa de Marcos Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, já recebeu homenagem da Câmara Municipal de Vinhedo por iniciativa de um vereador do PSDB.


Em setembro de 2014, quando Carlos Renato de Melo Ribeiro era delegado de polícia na cidade, o vereador Nil Ramos propôs, através de decreto legislativo, a concessão do Diploma de Mérito Policial, aprovado por unanimidade.

Nil é atualmente o presidente da Câmara na cidade, que é administrada pelo PSDB. O artigo 1o. do decreto informa Nil informa que Carlos Renato merecia a homenagem em razão dos “relevantes serviços prestados à comunidade vinhedense no setor policial, inclusive em salvamentos arriscando a própria vida”

Na justificativa do decreto, o vereador tucano não dá exemplos dos serviços prestados, fala de vida pessoal do homenageado – casado, um filho – e da atividade acadêmica – apenas cursinhos preparatórios para concurso público.


Carlos Renato é de Campinas e, durante os anos em que trabalhou em Vinhedo, na região, teve um relacionamento intenso com a comunidade. Era assíduo nas reuniões do Conselho de Segurança.

Quando houve um aumento no número de assaltos a residências, disse que o “serviço de inteligência civil” buscava pistas com “vagabundos e traficantes” presos, para identificar os ladrões.

“Nós usamos disfarces, carros não chamativos e estratégias para observar e, no momento certo, capturar os infratores”, explicou, segundo registro de um jornal local.



O decreto legislativo, apresentado por um vereador do PSDB, que concede homenagem ao delegado

Investigação é o que não houve na operação que resultou na busca e apreensão na residência do filho de Lula.

o pedido de busca apresentado à Justiça, até foi juntado um relatório de três investigadores, que falava em movimento grande de pessoas na casa de Marcos Cláudio.


A suspeita informada era de tráfico de drogas.

Na busca autorizada pela juíza, os policiais não encontraram nada relacionado a entorpecentes e apreenderam documentos, computadores e CDs.

Informaram que o material seria enviado à Polícia Federal, mas a juíza, quando soube que não havia nada relacionado a tráfico, mandou devolver tudo a Marcos Cláudio.

O delegado foi afastado pelo governo do Estado, enquanto uma sindicância vai apurar o que verdadeiramente motivou o delegado a invadir a casa do filho do ex-presidente.

Continue lendo no Diário do Centro do Mundo

Comentários