Deltan acusa Gilmar de desmoralizar a Justiça

ALEP | STF

247 - A decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes de suspender a transferência do ex-governador do Rio Sérgio Cabral para um presídio federal no Mato Grosso do Sul foi duramente criticada pela procurador Deltan Dallagnol.


Ao comentar a notícia em sua página no Twitter, Dallagnol disse que Gilmar "desmoraliza a Justiça". "Quando a Justiça desmoraliza a justiça. Minha solidariedade a Bretas, que corajosamente tem enfrentado corruptos poderosos", afirmou o procurador. 

Gilmar argumenta na decisão que a atividade profissional da família de Bretas havia sido divulgada pelo próprio juiz em uma reportagem publicada um mês antes da audiência na qual Cabral demonstrou conhecimento sobre ela, motivo pelo qual não se poderia inferir que o ex-governador estaria recebendo informações indevidas dentro da prisão.

“O fato de o preso demonstrar conhecimento de uma informação espontaneamente levada a público pela família do magistrado não representa ameaça, ainda que velada”, disse o ministro do STF, que acrescentou não ver risco à segurança pública com a permanência de Cabral no Rio.


O ex-governador Sérgio Cabral está preso preventivamente desde novembro do ano passado em uma penitenciária no Rio de Janeiro, em decorrência da Operação Calicute.

Na semana passada, o juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal, responsável pelo caso, determinou a transferência dele para o sistema penitenciário federal, depois que, em depoimento, Cabral demonstrou ter informações sobre a família do juiz. O ex-governador disse saber que a família de Bretas tem negócios com bijuterias e seria a empresa mais importante do ramo no estado.

Comentários

  1. Isso mesmo ! Destoa em suas decisões de forma a avacalhar o poder de Justiça já bastante combalido por intervenções favoráveis a bandidos, praticadas por ele e pelo min. Marco Aurélio.

    ResponderExcluir
  2. Dallagnol está fazendo proselitismo politico na tentativa de promover sua candidatura para 2018. Ele é tão prejudicial à justiça quanto o "minixtro"que advoga para o PSDB e o juiz que abusa de sua autoridade alegando ameaça velada do réu.

    ResponderExcluir

Postar um comentário