Deputados provam que busca a casa de filho de Lula é perseguição e delegado será afastado


Deputados estaduais do PT de São Paulo se reuniram nesta quarta-feria, 11, com o secretário secretário de Segurança Pública, Mágino Barbosa, para cobrar providências sobre a ação policial contra o filho do ex-presidente Lula, Marcos Lula da Silva, de claro objetivo de perseguição; os deputados petistas mostraram o pedido da operação encaminhado à Justiça há indicação de busca e apreensão para o endereço residencial antigo e o atual de Marcos Lula, locais distintos e distantes; 


"Ora, se a denúncia anônima é sobre um determinado local, por que o pedido de busca foi feito para dois locais?", diz o líder Alencar Santana Braga; segundo Braga, o secretário se comprometeu afastar delegado do caso, abrir procedimento pra averiguar conduta do delegado e exigimos também solução é esclarecimentos rápidos do caso de Paulínia

Deputados estaduais do PT de São Paulo se reuniram nesta quarta-feria, 11, com o secretário secretário de Segurança Pública, Mágino Barbosa, para cobrar providências sobre a ação policial contra o filho do ex-presidente Lula, Marcos Lula da Silva, com fortes sinais de perseguição. 

No encontro, os deputados do PT demonstraram que o delegado responsável pela operação, Rodrigo Luiz Galazzo, agiu com clara finalidade política de perseguir Lula e sua família. Os deputados petistas mostraram que o pedido da operação encaminhado à Justiça não se sustenta por algumas razões. 


A principal delas é que não havia nada no local e tão pouco tinha como haver que justificasse tal medida. Outra razão, segundo a bancada do PT na Assembleia, é que no pedido do delegado encaminhado à juíza há a indicação de busca e apreensão para dois locais com suspeitas de movimentações estranhas, o endereço residencial antigo e o atual de Marcos Lula, locais distintos e distantes. "Ora, se a denúncia anônima é sobre um determinado local, por que o pedido de busca foi feito para dois locais?", questionou o deputado Alencar Santana Braga, líder do PT. 

Os deputados também exigiram que haja um rápido esclarecimento do governador Geraldo Alckmin sobre o caso, para que não paire nenhuma dúvida e ações como essas, de cunho claramente político, não voltem a acontecer. 

Estiveram na reunião os deputados Alencar Santana Braga - líder da bancada -, Enio Tatto, Ana do Carmo, Márcia Lia, José Américo e José Zico Prado.

Comentários