Mensagens no Whatsapp do MBL indicam que Dória os comprou. Confira:


Da Carta Capital - O Movimento Brasil Livre (MBL) já tem seu plano traçado para a disputa eleitoral de 2018: levar o atual prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), para o Palácio do Planalto. A estratégia para o feito, indica troca de mensagens publicada nesta terça-feira 3 em reportagem da revista Piauí, é construir uma aliança entre PMDB, DEM, evangélicos e ruralistas – e eventualmente abandonar de vez o PSDB.


“Com ou sem PSDB. A aliança que pode lhe eleger [Doria] está no PMDB, DEM, evangélicos, agro e MBL. Nosso trabalho será o de unir essa turma em um projeto comum”, escreveu Renan Santos, um dos líderes do MBL, em um grupo de WhatsApp denominado MBL- Mercado, no dia 27 de agosto.

“Espero, de coração, que a tese que a gente defende (aliança entre setores modernos da economia + agro + evangélicos) seja aplicada. É a melhor forma de termos um pacto político de centro-direita, que a dialoga com o campo e com a classe C”, continuou Santos.

Leia a íntegra na Carta Capital

Comentários

  1. O MBL é um movimento de bandidos, animais comuns, lixos genéticos em busca de enriquecimento através de movimentos.
    Doria não sabe administrar nada e encontrou uma fuga para desculpar, viajar fazendo campanha. Se soubesse iria administrar São Paulo e mostrar ao país como propaganda. Esse idiota é produto falsificado.
    Espero não ter eleições em 2018 e espero uma intervenção militar, mas se houver não acredito que os partidos infames citados acima terão coragem de apoiá-lo.
    Ele chegará no final de mandato em São Paulo repudiado e enojado pela população.

    ResponderExcluir

Postar um comentário