Moro impôs multa de apenas R$ 240 milhões a executivos da Odebrecht; multa original era de R$ 14 bilhões


O juiz federal Sérgio Moro, que conduz a Operação Lava Jato na 1ª instância, decretou multa de R$ 108.809.565,00 e US$ 35 milhões (R$ 131.978 milhões na cotação de 7 de março) aos cinco executivos ligados a Odebrecht e ao ex-diretor de Serviços da Petrobrás Renato Duque condenados nesta terça-feira, 8. Segundo o magistrado, este é o ‘valor mínimo necessário para indenização dos danos decorrentes dos crimes, a serem pagos à Petrobras’. A soma dos valores é de R$ 240.787.565,00.


Marcelo Odebrecht foi sentenciado a 19 anos e 4 meses de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa na Operação Lava Jato. Ele foi preso no dia 19 de junho de 2015 na Operação Erga Omnes, etapa da Lava Jato que pegou as maiores empreiteiras do País – além de Odebrecht foi preso Otávio Azevedo, da Andrade Gutierrerz, que acaba de fechar acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal.

O MPF havia pedido uma multa de R$ 14,1 bilhões mas Moro entendeu que ela era elevada demais.

Segundo Moro, o valor da multa ‘corresponde ao montante pago em propina à Diretoria de Abastecimento e à Diretoria de Serviços e Engenharia e que, incluído como custo das obras no contrato, foi suportado pela Petrobrás’.


“O valor deverá ser corrigido monetariamente até o pagamento. Os condenados respondem na medida de sua participação nos delitos, segundo detalhes constantes na fundamentação e dispositivo”, sustentou o juiz da Lava Jato.

Comentários