Sob comando de Temer e PSDB, BNDES emprestou 1 bilhão a fábrica de Eike Batista que nunca funcionou

Imagem relacionada

A fábrica de chips, Six Semicondutores, que tinha entre seus sócios o empresário Eike Batista está sendo alvo de uma operação por parte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para poder sair do papel. 


A empresa, rebatizada de Unitec, que já recebeu recursos de quase R$ 1 bilhão, ainda opera de forma pré-operacional e precisa de novos aportes da ordem de R$ 200 milhões para produzir em grande escala. A Finep, empresa público voltado para o incentivo da ciência e que também é sócia do projeto, teria que investir cerca de R$ 70 milhões, algo que a estatal não disposta a fazer.

De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, a diretora de mercado de capitais do BNDES Eliane Lustosa, disse que os acionistas estão discutindo a reestruturação da empresa e que até dezembro deverá ser anunciada a entrada de um sócio estratégico.

A expectativa é que a Six Semicondutores entrasse em plena operação em 2014, mas somente no final do ano passado a empresa começou a atuar no encapsulamento de circuitos integrados e no design de chips sem, contudo, produzir seus próprios chips.


Inicialmente, a Six Semicondutores tinha uma participação do BNDES da ordem de 33%; Eike Batista (33%); Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), com 6,5%; construtora Matec (6,1%), a empresa de tecnologia WS Intecs (2,6%); além da IBM, com 18,8%. Quando o grupo do empresário Eike Batista, ele vendeu sua participação para o grupo Corporación América, que atua nas concessões aeroportos de Brasília e Natal.

Comentários