The Guardian, questiona como Temer se mantém no poder e como ninguém protesta contra ele


No primeiro enunciado de longa reportagem no “Guardian” assinada pelo correspondente Dom Phillips, “Acusado de corrupção, popularidade quase zero – Por que o presidente do Brasil ainda está no cargo?”.


No segundo enunciado, logo abaixo, “Michel Temer pode escapar, mas a contínua crise política mina a democracia e abre a porta para os linha-dura autoritários”, a saber, o general do Exército Antonio Mourão e o ex-capitão do Exército Jair Bolsonaro.

And unlike Rousseff, Temer has retained the support of financial markets who like the austerity measures he has introduced, such as privatising government services, a 20-year cap on expenditure and a planned pensions overhaul.

The Guardian diz que ao contrário de Dilma, Temer conta com apoio do mercado financeiro que apoia as medidas de austeridade, cortes de direitos, congelamento dos gastos de saúde e educação. 

O jornal também fala dos escândalos de corrupção que está envolvido Temer e seu grupo político de apoio, de formação de quadrilha, obstrução de justiça, das malas de dinheiro, gravações e questiona também a falta de público nas ruas contra Temer como foram contra Dilma.

Leia a matéria completa no The Guardian

Comentários