Aécio agora vai dar golpe em Temer. Saiba porque


O senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente afastado do partido, disse neste sábado (11.nov.2017) que “há 1 convencimento de todos nós que está chegando o momento da saída [do governo de Michel Temer]”. O tucano afirmou jogou a responsabilidade de discutir o desembarque aos 2 candidatos ao comando do PSDB: o senador Tasso Jeireissati (CE) e o governador de Goiás, Marconi Perillo.


“Quero sugerir aos 2 candidatos, Marconi e Tasso, que convoquem os ministros do PSDB para uma reunião e definam com eles de forma clara. Vamos sair pela porta da frente. Da mesma forma que entramos“, disse Aécio.

Atualmente, o PSDB ocupa 4 ministérios na Esplanada –Relações Exteriores, Cidades, Secretaria de Governo e Direitos Humanos.

Aécio afirmou que sua opinião à época em que Temer assumiu o Planalto “era não participar do governo“. O senador disse que a presença do partido na base de apoio a Temer “não é fisiológica“, como afirmou o Tasso Jereissati.

“Quando eu próprio aventei o nome do senador Tasso Jereissati para ocupar o Ministério do Desenvolvimento Econômico, e essa possibilidade existiu, isso não era visto como algo fisiológico. Era certamente pela capacidade que o senador poderia ter para o país naquele instante“, declarou.


CRÍTICA AOS ‘CABEÇAS-PRETA’

Aécio tenta esfriar a discussão levantada por uma ala descontente no PSDB. Na 5ª feira (9.nov), o candidato à Presidência da República em 2014 afastou Tasso do cargo de presidente interino do partido.

Alegou que, por causa do anúncio da candidatura do cearense ao comando da sigla a partir de dezembro, seria justo que Tasso não ocupasse o cargo interinamente.

“No momento em que Tasso opta por ser candidato, o que me parecia natural, ético e correto é que ele próprio se afastasse. Não tendo feito isso, eu assumi a responsabilidade“, disse.

O ex-governador de Minas Gerais também criticou o grupo que apoia o senador Tasso, os chamados cabeças-preta –ala mais jovem do partido.


“Não vejo o mesmo ímpeto de alguns dos chamados cabeças-preta, que eu respeito, meus amigos, com que defendem a saída pirotécnica do governo para defender as reformas, em especial a da Previdência“, disse Aécio.

Segundo o senador, “o PSDB está perdendo o papel de vanguardista de liderança maior no país no campo das reformas estruturais“.

Fonte: Poder 360

Comentários