Moro não diz nada: empresa da filha de Serra cresceu 50.000 vezes em 42 dias


Por Helena Stephanowitz - A imprensa brasileira que divulgou o dossiê Palocci, noticiando que seu patrimônio aumentou 20 vezes em 4 anos, o que dirá do aumento vertiginoso de 50.000 vezes da empresa da filha de José Serra (PSDB/SP) em 42 dias?


Verônica Allende Serra, filha de José Serra, era sócia da empresa DECIDIR.COM BRASIL, já conhecida de outras reportagens.

A empresa teve seu capital multiplicado por 50.000 (cinquenta mil vezes)… repetindo para você ter certeza do que está lendo: 50 MIL VEZES!

E isso em apenas 42 dias.

A empresa foi criada no dia 8 de fevereiro de 2000, com capital de R$ 100,00 (cem reais).

Quinze dias depois, no dia 22 de fevereiro de 2000, o nome da empresa mudou para “Decidir.com Brasil S.A.” e a sócia Verônica Allende Serra (filha de José Serra) assumiu o cargo de Diretora e de Vice-presidente da empresa.

Em 21 de março de 2000, passados 42 dias da criação da empresa, o capital foi aumentado para R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais), ou seja 50 mil vezes o valor incial.

Detalhes:

Verônica Allende Serra não era apenas filha de José Serra. Também era sócia do pai em outra empresa, de consultoria, simultaneamente: na ACP – ANÁLISE DA CONJUNTURA ECONÔMICA E PERSPECTIVAS LTDA (conforme citado na ação proposta do Ministério Público Federal, aqui)


José Serra era ministro da Saúde no governo de Fernando Henrique Cardoso, nesta época, e pré-candidato à presidência da República.

O Ministério Público Federal apurou que José Serra NÃO DECLAROU sua empresa de consultoria à Justiça Eleitoral, nas eleições em que concorreu em 1994, 1996 e 2002.
Documentação comprova:

Nosso blog não precisou bisbilhotar o sigilo fiscal na Secretaria de Fazenda de São Paulo (comanda pelo serrista Mauro Ricardo), para obter os documentos abaixo:

Como se sabe, amigo navegante, tudo isso se passou no ano 2000, quando o Padim Pade Cerra podia ser eleito presidente da República dois anos depois.

Clique aqui para ver os documentos da fundação da empresa da filha do Cerra com a irmã do Dantas em Miami (epa! epa!).

Clique aqui para ler a reportagem da Época que reproduz a relação entre o lobbista do Dantas e o motorista do Cerra.


Note que, depois de degolar um conselheiro do Banco do Brasil a pedido do lobbista de Dantas, o lobbista de Dantas diz ao motorista do Cerra:

“Maravilha das maravilhas !”.

Paulo Henrique Amorim

Comentários

  1. Porque os comentarios sobre as materias deste blog não estão aparecendo no Facebook ?

    ResponderExcluir

Postar um comentário