Relator do Impeachment de Dilma suspeito de fraudes em concursos


247 – Em relatório da Operação Porta Fechada, a Polícia Civil de Goiás afirma que irá ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedir autorização para investigar o deputado Jovair Arantes (PTB-GO). O parlamentar foi relator do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) na Câmara.Jovair deu parecer favorável ao golpe parlamentar contra a petista, em 2016.


A Porta Fechada apurou ‘a fraude e a venda de vagas no concurso público para provimento do cargo de Delegado de Polícia Substituto do Estado de Goiás, executado pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe – organização social) e pela Secretaria de Gestão e Planejamento do Estado de Goiás (SegPlan)’.

O delegados Rômulo Figueredo de Matos e André Augusto Bottesine Jorge indiciaram 30 investigados. Um deles é o médico Antônio Carlos da Silva Francisco, apontado pela operação como suposto vendedor de vaga, que já trabalhou no gabinete de Jovair Arantes.

“Informamos que deixamos de investigar eventual participação do deputado federal Jovair Arantes na possível intermediação do candidato Fábio Júnior das Neves, por ser ocupante de cargo detentor de foro privilegiado. Não obstante, oficiaremos o Supremo Tribunal Federal solicitando autorização para instauração de inquérito policial visando o esclarecimento desse fato”, afirma a Polícia no relatório.

Comentários