VAZOU: Ministro da Justiça do governo Temer está envolvido em desvio de dinheiro em operação da Polícia Federal


O Ministério Público Federal e a Polícia Federal, encontraram documentos que comprovam o pagamento de pelo menos 4 milhões de reais ao escritório de advocacia do atual ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.


Esse repasse segundo o MPF, seria de uma empresa investigada na Operação Acrônimo realizada pela Polícia Federal.

Foram apreendidos documentos que comprovam o repasse para o atual ministro da Justiça do governo de Michel Temer entre 2010 e 2014.

Na época segundo a PF, Moraes não exercia cargo público e isso aconteceu quando os agentes federais encontraram na mesa de um dos principais executivos da JHSF, empresa do setor imobiliário, uma planilha com o nome de Moraes que indicava uma sigla do PSDB.

O fato aconteceu no dia 16 de agosto e o nome do ministro da Justiça do governo Temer, estava associado à palavra Parkbem, uma empresa de estacionamento do grupo JHSF.

Moraes nesse caso se torna mais um ministro de Temer envolvido em escândalos e investigado pela Polícia Federal.

Click Política - Matéria do Jornalista Gil Silva

Comentários

  1. ou seja... nao vai dar em porra nenhuma!

    ResponderExcluir
  2. RESULTADO DO GOLPE DE ESTADO: Soltaram os bichos, não reclamem
    > https://gustavohorta.wordpress.com/2017/11/29/resultado-do-golpe-de-estadosoltaram-os-bichos-nao-reclamem/


    A irreverência carioca incorporou o provérbio português de que “Deus não da asa a cobra”.

    Deram.

    Por dinheiro e por política que, afinal, é dinheiro.

    Como a comunicação é império privado onde não deveria ser – tem lá na Constituição que as emissoras, concessão pública, devem preferir “finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas”, mas preferem é dinheiro fácil com o “mundo cão” – fomos assistindo ela se encher de personagens “solta o dedo em cima deles” ou até batendo de porrete na mesa e de pseudohumoristas onde gentileza – quando há – é só no nome.

    A seguir, vieram os Ratinho togados, liberados para uma temporada de prisões midiáticas – o tal Japonês da Federal será até candidato a deputado, se a sua condenação por contrabando o permitir – comandados pelos curitibanos enviados de Deus.

    Depois vieram os bichos da política, porque valia…

    ResponderExcluir
  3. Se fosse no Japão ele se suicidaria, aqui ele tem fôro privilegiado e será homenageado pela quadrilha da qual faz parte.

    ResponderExcluir

Postar um comentário