Moro quer mandar no STF e causa desconforto entre juízes

Resultado de imagem para moro stf

O populismo do juiz Sergio Moro não tem limites.


Certamente preocupado em jogar para a plateia, declarou que será um retrocesso se o STF revisar as condenações da Lava Jato.

Nunca se viu um juiz de primeira instância pressionar dessa maneira a corte mais alta do país.

É a completa subversão da hierarquia.

Ele nega ao Supremo o direito de cumprir uma de suas funções, que é justamente revisar decisões de instâncias inferiores.

Não admite, portanto, ser contestado.

E joga a opinião pública contra o STF, apontando o dedo: se os “corruptos” forem soltos a culpa é dele.


Quer transformar a primeira instância em última.

Arroga-se a condição de juiz de um tribunal de exceção.

Faz um ataque frontal ao estado de direito.

Há que considerar, no entanto, que suas críticas descabidas tendem a provocar efeito contrário ao pretendido.

Ao tentar acuar os ministros do STF poderá estar cutucando onças com vara curta.

Intimidados, vão ter de decidir de forma a desmentir a intimidação. Ou vão passar por covardes e subservientes.

Conhecendo esse risco, Moro tomou a decisão de mover essa pedra porque sabe que sua condenação de Lula a nove anos e meio de prisão não se sustenta em provas.

A segunda instância costumeiramente confirma suas decisões, mas ele precisa da opinião pública para pressionar o STF a não desmontar a sua farsa.

Moro quer mandar no STF.

E esse é mais um sinal do retrocesso que ele introduziu na Justiça brasileira desde a implantação da Operação Lava Jato.

Comentários

  1. Ele está certinho, aliás o recado tem endereço; Mendes e Tofolli.

    ResponderExcluir

Postar um comentário