Os trilhões de presente de natal do governo para banqueiros, multinacionais,aliados e mídia


O fim do ano está chegando e convém lembrar todas bondades do governo Temer/PSDB para com as elites do país, com os banqueiros, multinacionais do petróleo, donos de terras, ruralistas, enquanto seguem com um discurso falso que o “PT quebrou o país” e que estão “consertando o Brasil” e outros setores bem abastados como da mídia que ganharam muito com o governo atual.


1 Trilhão para as petroleiras estrangeiras

Apelidada de MP do trilhão, a Medida Provisória 795 (MP 795), que estende o regime fiscal aduaneiro Repetro de 2020 a 2040, especialistas calculam que o total de isenção de impostos para as multinacionais do petróleo chegará a 1 trilhão de reais em impostos isentados, o relator do projeto é Aliado de Cabral e conhecido por um dos participantes da festa dos guardanapos, que ocorreu em restaurante em Paris e um símbolo do uso do dinheiro público para custear farras e diversões.

25 bilhões em perdão de dívidas do Itaú

O Itaú teve no início do ano um perdão de 25 bilhões de reais em dívidas pelo CARF ( O Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), 25 bilhões em impostos referentes a fusão do Itaú com Unibanco, logo após essa fusão o banco teve um aumento de mais de 19% no seu lucro, o interessante é que o atual Presidente do Banco Central, era executivo do Banco. O valor perdoado pagaria um aumento de R$ 90 a mais no salário mínimo que teve sim cortes e ficou bem abaixo do esperado para o ano de 2018.
Aumento de até 3000% a mídia aliada

Istoé teve um aumento de mais de 3000% nas receitas de publicidade do governo atual e a VEJA que fez tanto campanha pela queda de Dilma e até pela prisão de Lula, teve um aumento de 478% nas receitas de publicidade, além de outros aumentos surpreendentes como para a BAND de 1129% nas receitas de publicidade, um custo em milhões muito maior que o governo anterior de Dilma, dinheiro que sobra e que por outro lado congelaram os gastos com saúde e educação por 20 anos.


4 bilhões ao Bradesco e 338 milhões ao Santader

Além do perdão de dívidas ao Banco Itaú, o governo comprou “títulos podres” do Banco Bradesco através do Banco do Brasil, no entanto nem o Banco do Brasil nem o governo quiseram comentar o caso. O presidente do Bradesco afirmou que a reforma da previdência é mais importante para o país que as eleições, mostrando como os banqueiros se preocupam com a pressão popular na reprovação da reforma da previdência. Similar caminho o CARF tomou com o Banco Santander e perdoou 338 milhões de reais em cobranças de impostos.
R$ 32,1 bilhões para comprar votos e evitar denúncias

Para salvar Temer, o governo desembolsou cerca de 32,1 bilhões de reais para poder salvar Temer das denúncias da PGR,essa foi a soma de diversas concessões e medidas do governo negociadas com parlamentares da Câmara entre junho e outubro, desde que Temer foi denunciado pela primeira vez, por corrupção passiva, até a votação da segunda acusação formal, pelos crimes de organização criminosa e obstrução da Justiça.


R$ 43 bilhões para aprovar a reforma da previdência

Via VEJA

O governo federal já comprometeu 43 bilhões de reais, a serem gastos nos próximos anos, para aprovar a reforma da Previdência, segundo informações do jornal O Estado de S.Paulo. Entretanto, apesar do esforço, o dinheiro ainda não foi suficiente para garantir uma base sólida que dê ao Planalto tranquilidade na contabilidade de votos a favor da medida. Até o momento, somente o PMDB e o PTB decidiram obrigar seus deputados a apoiar a proposta.

(…)

R$ 100 bilhões para as teles

O STF devolveu em outubro para a Câmara, o Marco regulatório das teles que na prática entregará as teles cerca de 100 bilhões de reais, cerca de 5 Lava Jatos juntas e que não gera sequer um processo de investigação sobre o porque desse interesse.
Articulação para perdoar 1 trilhão de donos de terras

Segundo relatórios da Oxfam, os grandes donos de terra devem quase 1 trilhão de reais ao Brasil que assentariam 214 mil famílias no Brasil e financiariam a educação por 14 anos, o governo atual quer anistiar o setor.
Perdão de multas ambientais de ruralistas total de R$ 4,6 bilhões

Na reta final de votação de sua denúncia Temer assinou o perdão de multas ambientais a ruralistas de R$ 4,6 bilhões.

Com essas e outras medidas do atual governo podemos ver que o país não está quebrado como afirmam, que os trilhões somados em bondades, perdão de dívidas, aumentos de verbas publicitárias, mostram que o país não está quebrado e que só o brasileiro comum, pobre e classe média pagará a conta de manter esses luxos e absurdos, que ainda pode-se por na conta os salários astronômicos de juízes e políticos que não serão atingidos pela reforma da previdência como a maioria esmagadora da população brasileira, esses trilhões (que conseguimos catalogar).

Comentários