Temer diminui ainda mais o salário mínimo de R$ 965 para R$954,00


Via Folha de São Paulo - O presidente Michel Temer assinou decreto nesta sexta-feira (29) que reajusta de R$ 937 para R$ 954 o salário mínimo.


O novo valor entrará em vigor a partir de segunda-feira (1) e será publicado em edição extra do “Diário Oficial da União”.

Por lei, o reajuste do salário mínimo tem que ser feito com base na inflação apurada no ano anterior e na variação do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes.

Segundo o decreto, o valor diário do salário mínimo corresponderá a R$ 31,80 e o valor horário passará a ser R$ 4,34.

A atual regra de correção do mínimo aprovada no Congresso Nacional é válida até 2019. Em 2015, o PIB encolheu 3,8% e, portanto, esse indicador não foi considerado na conta.

P.S do Falandoverdades: O valor é ainda menor que os 965 que havia sido Diminuido

Comentários

  1. Dificilmente um item econômico não foi reajustado por menos de 20% no ano e esse psicopata tido como presidente e seu também psicopata ministro da Fazenda aparecem com 1,86% de reajuste e inflação de 2,93%, smj.
    As baixas rendas que são a maciça maioria dos brasileiros estamos todos condenados à miséria e à fome.
    Isso não é administração de um país, gente. É um bando de psicopatas, trambiqueiros, ladrões, canalhas e tudo mais.
    Acorda país, estamos no abismo tomados por bandidos, psicopatas e quadrilheiros nos poderes. E não é somente na União.
    Parece que a educação, sendo uma das últimas do mundo, formou psicopatas que vieram tomar os poderes políticos, o poder judiciário e as instituições, além do espaço econômico. Todos os índices apontam para o último lugar nas medidas internacionais e os últimos são de sermos o terceiro país mais idiota do mundo, à frente somente de Índia e México e termos os piores políticos do mundo.
    O Brasil agoniza e está morrendo. Perdemos ética, moral, valoração, dignidade por tendo sido tomados por criaturas sem espírito, razão, juízos racionais e entendimento, isto é entes predadores.

    ResponderExcluir

Postar um comentário