Brasil pós-golpe: gasolina 30% mais cara e R$ 10 bi para os EUA


247 – Uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira pelo instituto Ideia Big Data revela que, aos olhos do povo brasileiro, Michel Temer só tem características negativas. Ele é visto como "fraco, sujo, egoísta e corrupto" (leia mais aqui). Com 97% de rejeição, ele é o governante mais impopular do mundo e, também segundo a pesquisa, trabalha contra os interesses do povo brasileiro.


Michel Temer, como todos sabem, traiu uma presidente legítima e honesta, Dilma Rousseff, e assim que assumiu o poder implantou a agenda do PSDB, partido derrotado nas urnas em 2014. Os tucanos indicaram Pedro Parente para o comando da estatal, que já mostrou a que veio. Nos leilões do pré-sal, ele abriu mão do direito de preferência das áreas mais valiosas, abrindo espaço para empresas internacionais, como Shell, Exxon e Chevron. Sem nenhuma transparência, saiu vendendo ativos da Petrobras a torto e a direito. Além disso, implantou uma nova política de preços que aumentou o valor da gasolina em 30% para os brasileiros, em apenas seis meses. Em alguns lugares do País, o valor do litro já se aproxima de cinco reais.

Agora, nesta quarta-feira, veio o golpe definitivo. Sem que a Petrobras tenha sofrido qualquer condenação judicial, Parente aproveitou a calmaria das férias e fechou um acordo com a justiça dos Estados Unidos para transferir nada menos que R$ 10 bilhões a investidores norte-americanos, 6,5 vezes do que teria sido recuperado pela Lava Jato.


O resumo da ópera é simples: os brasileiros estão sendo arrochados para que Parente possa transferir uma fortuna aos Estados Unidos. Ou seja: os patrocinadores do golpe não apenas conseguiram levar de bandeja o pré-sal brasileiro – maior descoberta energética do século 21 – como ainda conseguiram ser indenizados.

Já deu para entender o golpe ou ainda precisa desenhar?

Comentários

  1. Quer falar de corrupção pegando fotos dos fotógrafos sem pagar, se foder!

    ResponderExcluir

Postar um comentário