Lula expõe cartel de desembargadores aliados do PSDB


Lançado candidato à presidência da República um dia depois que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) condená-lo sem provas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a afirmar que estará na campanha eleitoral deste ano. 


Em discurso firme, Lula disse que os desembargadores estavam tentando condenar uma parcela grande do povo brasileiro "que reconhecem no PT e no Lula a possibilidade desse país voltar a ser respeitado e o povo voltar a ter auto estima".

"O que está sendo julgado é a forma que nós governamos esse país. É a tentativa de criminalizar uma organização política que colocou o pobre pela primeira vez no centro da discussão social. O Lula é apenas a ponta de lança que eles querem tirar do jogo. Sou um cidadão que acredita nas instituições. Nós vamos recorrer naquilo que for possível recorrer e batalhar até o final", disse Lula. 

"Nós conseguimos passar para a sociedade a questão política que está em jogo. Embora eles tenham a grande mídia, eles sabem que eles perderam na consciência do povo brasileiro. É por isso que estou tranquilo", acrescentou o ex-presidente. 


"O que mais coloca minha honra na flor da pele: não posso aceitar que um canalha qualquer nesse país me chame de ladrão. Eles fizeram uma mistura entre judiciário, MP, PF e mídia", atacou Lula em seu discurso. 

Leia mais na matéria da Reuters sobre o assunto: 

Lula acusa desembargadores de "cartel" e diz que irá batalhar até o fim


Reuters - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acusou nesta quinta-feira os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) que mantiveram na véspera sua condenação por corrupção e lavagem de dinheiro de fazerem um “cartel” para dar uma decisão unânime e impedir os embargos infringentes, e prometeu recorrer e batalhar até o final.

Em discurso durante reunião da Executiva Nacional do PT em São Paulo, na qual o partido confirmou sua pré-candidatura à Presidência, Lula disse ainda que está em curso uma tentativa de criminalização do PT, e reiterou sua inocência.

Por Eduardo Simões

Comentários

  1. É verdade, julgamento de cartas marcadas, um julgamento que fere a consciência e a confiança na justiça.

    ResponderExcluir

Postar um comentário