MBL defende William Waack e o direito de ser racista “entre amigos”





Revista Fórum - Em uma postagem desta quarta-feira (17), o Movimento Brasil Livre (MBL) saiu em defesa do jornalista William Waack e reduziu o gesto racista – que rendeu à Waack sua demissão na Globo – a uma “brincadeira”.


“Afinal, quem nunca falou besteira entre amigos?”, questiona o grupo que, dada a gravidade da fala de Waack, só usou uma outra maneira para defender o direito de ser racista em um ambiente privado.

Acontece que nem mesmo “entre amigos” Waack estava quando proferiu a frase ofensiva à população negra. Ele estava no intervalo do jornal que apresenta, na presença de trabalhadores e trabalhadoras negras, e se sentiu à vontade para fazer a “brincadeira” pelo simples fato de que não estava sendo transmitido ao vivo.

Para defender Waack, o MBL utilizou um trecho da entrevista que o jornalista concedeu à Veja falando sobre o assunto. Em sua fala de defesa, o ex-apresentador do Jornal da Globo reduz o racismo à “irreverência” do brasileiro, e defende seu direito de ser “malandro”.

Confira.

Comentários