Pego na mentira! Doria não diminui cargos e nem reduz despesas em São Paulo


Corte de cargos? Redução de despesa? Os exageros do balanço de Doria. Por NATHÁLIA AFONSO, HELLEN GUIMARÃES da Agência Lupa.


Na semana passada, o prefeito de São Paulo, João Doria, divulgou um vídeo de quase dez minutos fazendo um balanço de seu primeiro ano de gestão. Ele citou dados sobre o trabalho realizado em 2017 nas áreas de saúde, mobilidade urbana, gastos públicos e gestão de pessoas, entre outras. A Lupachecou algumas dessas frases. Veja o resultado: 

“(…) despesas foram drasticamente reduzidas [redução de 16%]”
Prefeito de São Paulo, João Doria, em seu Facebook no dia 08/01/2018


De 2016 para 2017 houve uma redução de 2,04% nas despesas da prefeitura de São Paulo. Embora o total de 2017 – R$ 36,1 bilhões – seja nominalmente maior do que o de 2016 – R$ 35,8 bilhões -, é necessário levar em conta a inflação do período, o que aponta para uma redução entre os períodos analisados.


O percentual foi calculado pela Diretoria de Análise de Políticas Públicas (DAPP FGV), a pedido da Lupa, com base nos dados do portal da transparência da cidade. 

Procurado, Doria informou que a redução de despesas mencionada é de natureza administrativa, como aluguéis e contratos.

“Mais de 3 mil cargos comissionados (…) foram cortados”
Prefeito de São Paulo, João Doria, em seu Facebook no dia 08/01/2018


De acordo com o portal Dados Abertos da Prefeitura de São Paulo, a redução foi menor do que o mencionado por Doria. Em dezembro de 2016, a cidade tinha 5.523 servidores ativos em cargos comissionados. Um ano depois, são 4.737 – 786 cargos a menos. Os dados são extraídos do próprio Sistema Integrado de Gestão de Pessoas e Competências (SIGPEC) da Prefeitura.

Em nota, a prefeitura informou que os 3 mil cargos cortados mencionados por Doria são uma soma dos cargos em comissão para os quais não haverá novas contratações nesta gestão e de cargos vagos, referentes a secretarias e órgãos da administração que ainda estão em processo de reestruturação. Segundo a assessoria, “a redução se faz sentir na quantidade de cargos vagos.”

“São Paulo se tornou uma cidade amiga dos empreendedores. Antes, levava 120 dias para abrir uma empresa. Agora, são apenas 5 dias”
Prefeito de São Paulo, João Doria, em seu Facebook no dia 08/01/2018


Segundo a Endeavor Brasil, ONG referência em empreendedorismo, para abrir uma empresa em São Paulo eram necessários, em média, 74 dias em 2017. Ainda que o prazo seja menor do que o observado em 2016 – 136 dias – é quase 15 vezes maior do que o afirmado por Doria. O prazo de 74 dias também maior do que a média brasileira apontada pela Endeavor, que é de 62 dias.


Os cinco dias a que o prefeito se refere são válidos apenas para empresas de baixo risco, cujo processo é feito todo online, pelo programa Empreenda Fácil. O estudo da Endeavor, inclusive, cita o serviço como exemplo de boas práticas aplicadas a empreendedorismo no país.

Em nota, a Secretaria municipal de Inovação e Tecnologia informou que programa Empreenda Fácil tem as empresas de baixo risco como alvo. “As próximas fases do programa contemplam o aprimoramento dos processos para a abertura de empresas de alto risco, o fechamento dos negócios, alteração e regularização de empresas”, diz a nota.

Comentários