Temer diz que não vai mais admitir ser chamado de “trambiqueiro”


Do Valor: O presidente Michel Temer (MDB) disse nesta segunda-feira (29), em entrevista à rádio Bandeirantes, de São Paulo, ter “aproveitado bem” a sua impopularidade e ter feito “o que o Brasil precisa”. Ele afirmou que pretende fazer uma reforma tributária depois de aprovar a da Previdência, neste ano.


“Ninguém terá coragem de acabar com reforma trabalhista”, acredita.

Temer afirmou que não vai admitir “mais que se diga impunimente que o presidente é trambiqueiro”. “Meus detratores estão na cadeia ou desmoralizados”, disse.

Para ele, “um membro do Ministério Público foi jogando denúncias em cima do presidente”, o que levou, entre outros, à não aprovação da reforma da Previdência até o momento. Era uma referência ao ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, que no ano passado denunciou Temer por corrupção passiva, obstrução da Justiça e formação de organização criminosa.

“O MP tem hoje os poderes que tem porque eu, na Constituinte, trabalhei por isso”, disse o emedebista.

Comentários

  1. Só, com a matança em todos os municípios do brasil?! sabe que grande numero de homicídios indica miséria "falta de trabalho e renda" não é?! __ o nordeste tem mostrado muito bem isso, pois é o lugar onde é mais atacado em situações como esta que estamos vivendo nesse país hoje.
    Desonestos (ladrão) corrupção, impróprio a vida humana ... é o nome da política atual do brasil.

    ResponderExcluir

Postar um comentário