Temer vai ao STF por Ministra filha de ex-presidiário


Via G1 - O presidente Michel Temer decidiu recorrer ao Supremo Tribunal Federal para tentar manter a posse da nova ministra do Trabalho, Cristiane Brasil. O primeiro recurso à Justiça Federal foi negado.


Ninguém foi desconvidado. E muitos vieram de longe para a posse. “Vim de Jundiaí. Espero que tenha a cerimônia, sim, acredito que vai ter, vai dar tudo certo sim”, disse José Manoel de Gouveia, presidente da associação dos lotéricos de São Paulo.

Tudo pronto, muitas cadeiras, cenário montado para a cerimônia de posse. Enquanto estava tudo pronto e os convidados esperavam do lado de fora, na hora marcada, às 15h em ponto, o presidente Michel Temer se viu obrigado a chamar Cristiane Brasil no gabinete presidencial, no terceiro andar, para uma conversa.

Temer está impedido de dar posse à nova ministra. Depois que o presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, André Fontes, alegou questão de foro íntimo e se declarou suspeito para decidir sobre o recurso contra a liminar que suspendeu a posse, coube ao vice-presidente do Tribunal, Guilherme Couto de Castro, dar o parecer. E ele manteve a liminar.

A posse foi suspensa na segunda-feira (8) pela 4ª Vara Federal de Niterói. A ação popular foi movida com base na condenação de Cristiane na Justiça trabalhista


O pai de Cristiane, Roberto Jefferson, presidente do PTB, participou da conversa com Temer. Pai e filha não recuaram. O presidente Michel Temer prometeu recorrer ao Supremo Tribunal Federal para manter a nomeação.

Cristiane e Roberto Jefferson entraram e saíram pela garagem privativa do Palácio do Planalto, longe das câmeras. O líder do partido na Câmara, Jovair Arantes, que esteve na lista de ministeriáveis, também conversou com Temer.

Mas, em uma entrevista a Gerson Camarotti, da GloboNews, Jovair disse que o PTB vai insistir em Cristiane Brasil. “A indicação que o PTB fez é uma indicação que está valendo e nós estamos aguardando a decisão da Justiça. Agora é importante que a Justiça se manifeste. A Justiça tem que respeitar mesmo entendendo que a decisão seja absolutamente equivocada”, disse Jovair.

A Advocacia Geral da União passou a tarde preparando o recurso para apresentar ao Supremo. “O PTB nos trouxe essa sugestão, o presidente entende que é uma pessoa que tem condições de ser uma boa ministra. O governo entende que ela tem condições de ser uma boa ministra. Eu repito, nós aguardamos para as próximas horas com serenidade a revogação dessa medida liminar”, disse Carlos Marun, ministro da Secretaria de Governo.

Comentários