Alckmin comemora recorde de prisões em SP e leva resposta humilhante de PM


O governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), o “Santo” das planilhas de propina, foi às redes sociais comemorar 190 mil prisões no ano de 2017, mas acabou levando uma invertida de um PM que até Deus duvidou.


“O trabalho policial foi impressionante em 2017, com recorde no número de prisões realizadas, 190 mil. Foram também mais de 15 mil armas apreendidas. Ainda há muito trabalho pela frente, parabenizo os envolvidos. A violência é sem dúvida um dos maiores problemas do Brasil”, escreveu o tucano, que plaina o campinho para candidatar-se a presidente da República.

Como aqui se faz e aqui se paga, o policial militar Humberto Gouvêa Figueiredo aproveitou a postagem para dar uma “sabugada” no governador do PSDB.

“Para mim, como policial militar há mais de 33 anos, muitos dos quais sob sua gestão é uma desonra receber um elogio seu! Você é inimigo das Forças de segurança do Estado, desvaloriza suas Polícias e agora vem querer se apropriar politicamente dos resultados? Por que você não paga aos seus Soldados pelo menos o que o seu Secretário de Segurança ganha de Auxílio Moradia? Se Deus quiser sua carreira política se encerra em Abril, Desgovernador!”, respondeu o veterano PM.


O PM poderia ter fulminado de vez Alckmin se discutisse a política criminal do governo tucano. Afinal, que merda é esta de comemorar a prisão de 190 mil pessoas em apenas um ano? É como se ele tivesse prendido uma cidade inteira maior que Pindamonhangaba (SP), que tem 164 mil habitantes, mas tomada aqui como exemplo porque é a cidade natal do governador paulista.

Prender, prender, prender. Lotar, lotar, lotar os presídios não é a solução ideal para enfrentar os problemas sociais como o desemprego e a semiescravidão criados pelos tucanos agasalhados no governo de Michel Temer. Eis a questão de fundo.

Fonte: Brasil247

Comentários