Dilma tinha razão: não vai ficar pedra sobre pedra


247 – Em outubro de 2014, quando a revista Veja circulou com uma capa criminosa, usada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG) para tentar levar a eleição presidencial daquele ano na mão grande, a presidente Dilma Rousseff fez uma profecia relacionada a todos os políticos que tinham planos para estancar a sangria. 


“Eu quero aqui manifestar meu repúdio a esse tipo de processo, que é um processo golpístico. Quero dizer que eu tenho uma vida inteira que demonstra o meu repúdio à corrupção. Eu não compactuo com a corrupção, eu nunca compactuei. Quero que provem que eu compactuei com a corrupção e não esse tipo de situação em que se insinua e não tem prova. Nesse caso da Petrobras, ou qualquer outro, que tenha a ver com corrupção, eu vou investigar a fundo, doa a quem doer. Quero dizer que não vai ficar pedra sobre pedra”, afirmou.

Dilma foi derrubada pelo golpe mais surreal da história, o dos corruptos contra a presidente honesta, num processo que tinha uma finalidade: estancar a sangria da Lava Jato, blindando políticos do PMDB e do PSDB. No entanto, a profecia de Dilma vem se cumprindo. Com o strike desta sexta-feira, três dos principais operadores de Michel Temer – José Yunes, coronel Lima e Wagner Rossi – foram presos, juntando-se a vários outros que já caíram, como Eduardo Cunha, Geddel Vieira Lima e Henrique Alves.


Se isso não bastasse, o articulador maior do golpe dos corruptos, senador Aécio Neves (PSDB-MG), também deve se tornar réu em razão do escândalo JBS. Ou seja: enquanto os golpistas caem e se afundam em seu próprio mar de lama, Dilma fica de pé.

Inscreva-se na TV 247 e confira comentário de Alex Solnik sobre o strike contra a turma de Temer:


Comentários

  1. Infelizmente o Brasil perdeu a oportunidade de ter em sua história um registro grandioso da participação feminina na presidência do país. Em um país sério teriam todos se unidos para que o Brasil desse certo.

    ResponderExcluir
  2. Essa é a pagina mais nojenta da Internet.... fake news

    ResponderExcluir

Postar um comentário