ONU vai considerar Lula preso político


Blog da Cidadania - O advogado de Lula no Comitê de Direitos Humanos da ONU, Geoffrey Robertson, vem reiterando que nunca teve dúvidas de que seu cliente seria condenado e sempre achou sua prisão inevitável. 


Porém, Robertson, conselheiro da Rainha da Inglaterra e advogado da ONU, um dos ativistas pelos direitos humanos mais respeitado do mundo, diz que a prisão do ex-presidente permitirá desmascarar a parcialidade da Justiça brasileira diante do mundo.

Antes de qualquer coisa, eu, Eduardo Guimarães, quero dizer a cada um dos brasileiros que sofre com a perseguição ao ex-presidente Lula que devemos honrá-lo tendo coragem como a que ele vem exibindo diante da perseguição criminosa que o Estado brasileiro empreende contra si. Nada de desânimo. Cumpre-nos lutar pela democracia com altive e coragem, como Lula.

Dito isso, pelo sim, pelo não todos temos que nos preparar para nos engajarmos na campanha internacional pela liberdade do ex-presidente se for o caso.


Essa campanha contará com personalidades, autoridades e até organismos de todas as partes do mundo, e com o aval precioso da Organização das Nações Unidas, já que o acolhimento da denúncia de Lula por parte do Comitê de Direitos Humanos da Organização é questão de tempo e deve ser acelerado se a prisão dele se materializar.

A ONU, como se sabe, dá prioridade a processos em que as supostas vítimas estejam presas ou até condenadas à morte.

A abertura de processo contra o Brasil por violar os direitos humanos de Lula é inevitável diante da fartura de provas, tais como a velocidade do processo só para ele enquanto políticos de tendência política oposta, como os do PSDB, são poupados sistematicamente pela mesma Justiça que age como carrasco e não como julgadora do ex-presidente.

Além disso, existem manifestações políticas aos montes dos que julgaram Lula. A postura do presidente do TRF4 de tomar partido contra Lula pela imprensa escandalizou a ONU, diz Geoffrey Robertson.

Claro que é ruim para o Brasil e para a democracia que o líder absoluto das pesquisas eleitorais sobre a campanha eleitoral para a Presidência da República seja encarcerado por acusações de um tipo que não causam problemas aos seus adversários políticos por evidente partidarização do Judiciário brasileiro, mas essa prisão, se ocorrer, irá favorecer a esquerda na eleição.


Isso porque a decisão da ONU de acolher a denúncia contra o Brasil por violar os direitos humanos de Lula será tomada concomitantemente ao início da campanha eleitoral no país e isso certamente cairá como uma bomba no cenário eleitoral.

O lugar em que Lula eventualmente vier a ser preso iria virar ponto de grandes manifestações, o que produziria uma repercussão enorme mundo afora.

O discurso da candidatura de esquerda que representar Lula será fortalecido pela decisão da ONU de processar o Brasil por violar seus direitos humanos e, aliada ao desejo do brasileiro de mudar o modo vigente de governar o Brasil, levará essa candidatura à vitória.

A eventual prisão de Lula irá tirar a direita do poder mais cedo e redemocratizará o Brasil com a eleição de um presidente progressista. E Lula acabará libertado. Quem viver, verá.

Comentários