Vereadora do Psol é assassinada após denunciar policiais. Coincidência?


Rio 247 - A vereadora Marielle Franco (PSOL), do Rio de Janeiro, foi morta na noite desta quarta-feira 14 no bairro do Estácio, no centro da capital fluminense. De acordo com as primeiras informações, ela voltava do evento "Roda de conversa com Mulheres Negras Movendo Estruturas", na Lapa, quando um carro emparelhou ao que ela estava e efetuou disparos, saindo sem roubar nada. O motorista que dirigia o veículo onde estava Marielle também morreu.


Socióloga formada pela PUC-Rio e mestra em Administração Pública pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Marielle, que foi a quinta vereadora mais votada nas eleições de 2016, atuava de forma combativa na Câmara com uma pauta em defesa dos direitos humanos e pela igualdade social. 

No final de fevereiro, ela havia sido nomeada relatora da Comissão que iria acompanhar a intervenção federal no Rio.

Leia ainda reportagem do DCM:

Do DCM – Três dias antes de ser assassinada, a vereadora Marielle Franco, do Psol, denunciou as mortes de jovens e a truculência policial em favela carioca:


A morte de dois jovens e a truculência policial durante operações na Favela de Acari, na Zona Norte do Rio, foram denunciadas pela vereadora Marielle Franco (Psol-RJ) e o coletivo Papo Reto. Marielle compartilhou uma publicação em que comenta que os rapazes foram jogados em um valão. De acordo com moradores, no último sábado, policiais militares do 41° BPM (Irajá) invadiram casas, fotografaram suas identidades e aterrorizaram populares no entorno.

“Precisamos gritar para que todos saibam o está acontecendo em Acari nesse momento. O 41° Batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro está aterrorizando e violentando moradores de Acari. Nessa semana dois jovens foram mortos e jogados em um valão. Hoje a polícia andou pelas ruas ameaçando os moradores. Acontece desde sempre e com a intervenção ficou ainda pior”, escreveu.

Procurada pelo DIA, a PM confirmou que realizou uma operação na comunidade ontem, mas não confirmou as motes nem falou sobre as denúncias. “Segundo o comando do 41ºBPM (Irajá), na manhã de sábado, policiais militares do batalhão atuaram em Acari, na Zona Norte do Rio. Durante a ação, policiais foram recebidos a tiros ocorrendo confronto e, após vasculhamento na área, foram apreendidos 40 frascos de lança perfume, 65 kg de pó branco e 1.050 frascos de cheirinho da loló. Ocorrência encaminhada para registro na 39ª DP (Pavuna)”, disse a corporação em nota.



Comentários